30/09/2016

Se

Se te contasse quantas vezes bate meu peito quando te vejo e você tentasse contar,
O número mais alto do seu vocabulário riria de sua falta de imaginação.
Se te entregasse meu coração embrulhado em um laço e te pedisse para fazer o que quiser com ele,
Só o faria de novo: se lembra quando ele rasgou meu peito e te disse que era seu antes da hora?

Se despedaçava no chão como um copo de vidro e dúvidas,
É porque a memória é preguiçosa e não lembra como era antes de você.
Se fugia, pelas ruas a morrer, enquanto a madrugada perdia nosso casal,
Só te pedia para me esperar um pouco, porque a manhã tem mais girassóis do que os fantasmas da noite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Hóspedes